Poesia Revista 2017, Convite | 12Mar2017 02:51:38

Publicado por: Diana Balis

Dia 28 de março de 2017, às 20 horas, estaremos no Bar Manoel & Juaquim de Ipanema, Rio de Janeiro, na comemoração e lançamento da Poesia Revista 2017.
Projeto de Gisele Lemos, Blogtok Editora, José Loureço, Barcelos, Portugal.

Somos 62 autores, Escritores de 12 Estados do Brasil e quatro países participantes.

Todos coautores da produção de distribuição gratuita em escolas e Saraus Poéticos da Cidade Maravilhosa e de seus Coparceiros.
Agradecemos a confiança e credibilidade em nossa produção anual que nesse ano escrevemos sobre o Meio Ambiente.


Agradecemos sua divulgação e comparecimento.

 

Gisele Lemos



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (91)

Subindo a Ladeira | 27Fev2017 14:46:23

Publicado por: Diana Balis

RIO_CON_AMENA.jpgSomos todos carregados de orgulho,
Subindo ladeiras, latas dágua na cabeça.
Recentes desempregados, por salários atrasados, e avultados por malandros de gravatas, as bravatas, dos últimos gritos de guerra, da integração nacional, brancos, índios, negros e pardos. Tolos maltratados, registramos os nossos valores, entre palavras, emoções e atitudes, somos POETAS!
Cuidem do corpo, da ética e das carícias.
Amor que revigora a Terra, Bendita, vendida por inescrupulosos e obcecados pela ganância.
Resistir, persistir e acreditar, o pagamento é único, fauna, flora e seres animais, todos somos mortais, mas sonhamos.
Viva o Rio de Janeiro e seus 452 anos de existência.
Viver é acreditar nas ações entre as palavras que emocionam eu acredito no amor.
Gisele Sant Ana Lemos



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (88)

Autoestima em voga | 25Fev2017 12:50:00

Publicado por:

 

giesandra.jpg

Auto estima em voga nesse ano de 2017.

Como dizia Dorival Caymmi

Gostar de si mesmo, sem egoísmo. Apreciar as pessoas em volta. Cuidar da saúde mental e física. Gostar dos seus horários. Não ficar melancólico, mas guardar na lembrança as melhores coisas da vida. E não abrir mão de ser feliz. A busca da felicidade já justifica a existência.

Acredito na possibilidade do amor. Todo ser humano necessita de carinho e afeto para sobreviver as dificuldades da existência.

Para melhorar o humor e autoestima, devemos cuidar de nos mesmos, com muito carinho e também nos conhecermos. Faz parte da meta, procurar ajuda para nos entendermos, buscando soluções aos problemas, e resolve-los.  Por vezes, uma simples ida ao cabeleireiro, anima e levanta a autoestima.

Conversei com Sandra Regina, cabeleireira, que trabalha na Tijuca, Rio de Janeiro. Os clientes, homens e mulheres, alem  do trabalho de corte, escova e tinturas, saem do salão sempre satisfeitos e mais sorridentes. Com certeza, com a autoestima elevada.


A vida nesse Carnaval segue leve...

Cuidem bem de seu corpo e autoestima, e bebam muita água para hidratar,comam frutas entre os Blocos e respeitem seus limites.

Desejo a todos um excelente Carnaval.

E as questões políticas! Ficarão para após o recesso prolongado... Afinal, Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô Mas que calor, ô ô ô ô ô ô

Gisele Sant Ana Lemos

Psicóloga Clínica e Familiar



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (112)

O AVKD é baseado no alfabeto latino, que é o alfabeto mais usado no mundo. | 23Fev2017 10:45:16

Publicado por: ../..

O AVKD é baseado no alfabeto latino, que é o alfabeto mais usado no mundo.

Não se sabe ao certo qual a origem do alfabeto, porém sabe-se que os egípcios foram os primeiros a tentar simbolizar as suas ideias através de figuras de animais.

Acredita-se, portanto, que o alfabeto tenha origem no Antigo Egito, por volta do ano 2000 a.C. e que representava o idioma dos trabalhadores semitas no Egito, tendo sido influenciado

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (131)

Verdade...Faz tempo | 19Fev2017 08:17:51

Publicado por: Diana Balis

16832369_10202815594106736_2473771332289564420_n.jpgVerdade, faz tempo. 


Calada e entregue na manhã de domingo,
Virei a página e recobrei do tempo,
a sua ausência.
Passa a gaivota que devora peixes em feiras livres, as Maritacas voam nos pés de amendoeiras em ruas tranquilas da Tijuca.

No azul celeste refletindo...

Vejo as marés.


Volto dá caminhada matinal transpirando energia,e tranquila, em cada despertar, consta todos os seus segredos.
Vou contar comigo, contigo, e mais uma vez Seremos dois apaixonados em manhãs de domingos,

Acaloradas pelo frescor do amor.


Diana Balis

 

 

 

 

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (132)

Morreu o i, eutanasiado. | 17Fev2017 12:00:58

Publicado por: ../..

 A pedido de várias famílias provocou-se a eutanásia ao i. Morreu.

São por demais as razões porque se escolhe o Y em vez do I. 

- Gráficamente é mau, muito mau, confunde-se com o L minúsculo, mal se vê (exemplo; rir, vir - ryr, vyr)
- Sempre que possível e desde que não choque a fonética, deve-se preservar a etimologia
- Coesão internacional - porque o AVKD

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (326)

APONTAMENTOS SOBRE A HISTÓRIA DA EVOLUÇÃO DA LÍNGUA | 01Fev2017 17:15:03

Publicado por: ../..





PERIODIZAÇÃO DA EVOLUÇÃO DA ORTOGRAFIA PORTUGUESA


      A história da ortografia portuguesa divide-se em três períodos distintos: FONÉTICO, PSEUDO-ETIMOLÓGICO e SIMPLIFICADO.

      1. PERÍODO FONÉTICO

      Este período inicia-se com os primeiros documentos redigidos em português e termina no século XV.

      A escrita neste período caracteriza-se pela forte tendência para ortografar as palavras tal qual eram pronunciadas: honrra; ezame; etc. Porém, a ausência de uma normalização ortográfica conduzia a uma variação na representação dos sons da linguagem falada. O som /i/, por exemplo, era representado ora por i ora por y; a nasalalização realizava-se através do m ou do n o do til (bem, ben, b~e), etc.

      Por outro lado, a ortografia não acompanhou a evolução que se operava no oral, conservando-se palavras como "ler" e "ter" grafadas com vogal dupla: «leer», «teer>.

      2. PERÍODO PSEUDO-ETIMOLÓGICO

      Inicia-se no século XVI e prolonga-se até 1911, ano em que é decretada a reforma ortográfica, fundada nos preceitos da gramática de Gonçalves Viana, publicada em 1904.

      Com a chegada do Renascimento e a admiração dos humanistas pela cultura clássica, motivou uma atenção particular para o Latim. Esta atitude levou a que os eruditos aproximassem o mais possível a língua portuguesa à sua língua-mãe. Este facto provocou o abandono da simplicidade da representação fonética e deu lugar a uma escrita com base etimológica. Assim, começámos a assistir ao aparecimento de grafias como fecto (feito), regno (reino), etc.; a um frequente emprego de consoantes duplas (metter, fallar, etc); à ocorrência dos grupos dígrafos PH, CH, TH e RH (pharmacia, lythografia, Matheus, Achiçles, etc.).

      Por outro lado, o pretensiosismo, aliado a uma certa ignorância, levou à prática de exageros. Entre outros casos, deixamos como exmplo o seguinte: introduziram-se letras que não eram pronunciadas, como esculptura; astma; character; etc.; o y passou a figurar em muitos vocábulos, como lythografia, typoia, lyrio, etc..

      No fundo, o que se pretendia era transformar a escrita em etimológica, mas a ignorância não permitiu que tal se realizasse total e plenamente. Daí o nome "Pseudo-Etimológico". Segundo J. J. Nunes «por este processo recuavam-se bastante séculos, fazendo ressurgir o que era remoto, e punha-se de lado a história do nosso idioma...»

      Mas não se pense que os critérios ortográficos, no decorrer deste longo período, foram aceites de forma pacífica. Aliás, cedo as reacções ganharam eco. Em 1576, Duarte Nunes de Leão, um dos primeiros gramáticos portugueses, critica a pseudo-etimologia. Tal reprovação surge, em 1633, por Álvaro Ferreira Vera, na sua "Ortographia ou arte para escrever certo na lingua portuguesa". Já no século XVIII, D. Francisco Manuel de Melo (pelo menos em uma das suas obras: "Segundas Três Musas do Melodino) opta por uma ortografia simplificada, pondo praticamente de lado o uso de consoantes dobradas, grafando f em vez de ph, e substituindo o dígrafo ch, com o som de /k/ por qu (farmacia - pharmacia; Aquiles - Achiles).

      No século XVIII, Luís António Verney, com "O verdadeiro método de estudar", não só propunha uma ortografia simplificada, como, usando precisamente essa mesma ortografia, fazia desta sua obra um exemplo a seguir.

      Apesar disso, o que acontecia na quase totalidade dos escritos, sobretudo a partir da publicação, em 1734, da "Ortografia ou arte de escrever e pronunciar com acerto a lingua portugueza", de João Madureyra Feijó, era o recurso à grafia mais complexa.

      Em relação aos acentos, o seu uso era muito restrito e o seu emprego não obedecia às regras de hoje.

      Nos inícios do século XIX, Almeida Garrett apresentava-se como defensor de uma escrita simplificada e insurgia-se contra a ausência de uma norma regularizadora da ortografia. E, seguindo este mesmo espírito, muitos outros, entre os quais Castilho, ergueram a sua voz em defesa de uma reforma ortográfica.

      Todavia, e tal como acontecera com os adeptos da grafia etimológica, também a 'febre' de simplificação da ortografia levou a que se cometessem numerosos disparates e a que, em finais do século XIX se assistisse a uma ortografia quase anárquica (cada um seguia o que se lhe afigurava mais adequado).

      3. PERÍODO SIMPLIFICADO

      Desde a Ortografia Nacional até aos nossos dias.

      Com vista a normalizar os documentos oficiais, o Governo nomeou uma comissão para estabelecer uma normalização da ortografia. Esta limitara-se a seguir e oficilizar as propostas defendidas por Gonçalves Viana, em 1907.

      A reforma de Gonçalves Viana prescrevia:

      a) «Proscrição absoluta e incondicional de todos os símbolos da etimologia grega: th,ph, ch (=>K), rh e Y;

      b) Redução das consoantes dobradas a singelas, com excepção de RR e SS, mediais, que têm valores peculiares;

      c) Eliminação das consoantes nulas, quando não influem na pronúncia da vogal que as precede;

      d) Regularização da acentuação gráfica.»

      Esta reforma foi tornada obrigatória em 1911.

      Em 1911, as Academias de Letras do Brasil e de Ciências de Lisboa, celebraram um acordo ortográfico, com vista a solucionar divergências ortográficas entre o português de Portugal e o português do Brasil.

      Em 1943, os dois países tentam um novo entendimento, de onde resultou o Pequeno Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, redigido pela Academia de Letras do Brasil.

      Este Vocabulário serviu de referência até aos nossos dias, e impunha como regras o seguinte:

      A. Emprego do H:

      O H não tem valor fonético na língua portuguesa, como já o não tinha no Latim. Só se emprega como inicial quando a etimologia o exige:

                  hoje,
                  haver,
                  hélice;
                  etc.
      Como medial, só se emprega nos dígrafos:

      __ CH, LH e NH:

                  ;mancha,
                  malha,
                  vinho,
                  etc.
      __ e nos compostos unidos por hífen, nos casos em que o segundo elemento é iniciado por H:

                  pré-história;
                  super-homem;
                  etc.
      B. Emprego do CH:

      O digrama CH, inexistente em Latim, é o resultado da evolução fonética dos grupos consonantais latinos PL, CL e FL:

                  pluvia > chuva;
                  masclu > macho;
                  afflare > achar;
                  etc.
      C. Emprego do X:

      O X português corresponde:

      a) ao X latino:

                  coxu > coxo;
                  laxare > deixar;
                  examen > exame;
                  exaguare > enxaguar;
                  etc.
      b) à palatalização do S em grupos como SSI ou SCE:

                  passione > paixão;
                  russeu; > roxo;
                  pisce > peixe;
                  miscere > mexer;
                  etc.
      D. Distinção entre S e Z:

      __ Escreve-se com S:

      a) Quando a letra S portuguesa corresponde a um S latino:

                  mensa > mesa;
                  rosa > rosa:
      b) nos sufixos -ESA e -ISA, quando referidos a títulos nobiliárquicos e a profissões:

                  princesa;
                  poetisa
                  etc.
      __ Escreve-se com Z:

      a) Nos casos em que o Z resulta da evolução dos grupos TI, CI e CE latinos:

ratione > razão;

vicinu > vizinho;

feroce > feroz; etc.

      b) Nos substantivos abstractos derivados de adjectivos qualificativos: beleza, pobreza, robustez, altivez, etc.

      c) No sufixo -IZAR de origem grega: organizar, civilizar, e seus derivados: organização, civilização; etc.

      E. Emprego de SS:

      O S surdo português, em posição medial, geralmente provém:

      a) de um SS latino: ossu > osso; assistire > assistir; etc.

      b) de uma assimilação: ipse > esse; persona > pessoa; dixi (dicsi) > disse; etc.

      F. Emprego do Ç:

      O Ç provém da evolução de CE, CI, TE e TI latinos seguidos de vogal: lancea > lança; minacia > ameaça; matea > maça; pretiu > preço.

      G. Distinção entre G e J:

      a) O G português representa geralmente o G latino: gelu > gelo; agitare > agitar; etc.

      b) o J provém:

      1. da consonantização do I semiconsoante latino: iactu > jeito; iam> já; maiestate > majestade; etc.;

      2. da palatalização do S + I, ou do grupo DI + Vogal: basiu > beijo; caseu > queijo; hodie > hoje; radiare > rajar; etc.

      A obediência a estas novas regras acabava com os exageros do período pseudo-etimológico e promovia uma certa aproximação ao período fonético.

      Embora o objectivo essencial da reforma de 1911, pela aproximação da ortografia à grafia fonética, fosse pôr fim ao despotismo da tendência etimológicaO essencial da reforma ortográfica de 1911 foi acabar com o despotismo da etimologia, a verdade é que não se eliminaram totalmente os hábitos anteriores, dos quais continuou a perdurar, entre outros, o uso de consoantes mudas, como homem, directo, sciência, etc.)

      Além disso, no que respeita à utilização dos acentos, esta reforma distanciou-se da escrita dos primeiros tempos. Os acentos passaram a ser frequentes e, em particular, todas as palavras esdrúxulas possuíam obrigatoriamente acento.

      No essencial, as prescrições da reforma de 1911 vigoram até aos nossos dias, mas sujeitas a algumas tentativas de de ajustamento, entre portugueses e brasileiros, com vista a uma maior uniformização do idioma falado nos dois países, como as que tiveram lugar em 1920, 1929 e 1931.

      A grande reforma seguinte, em 1945, resultante de um acordo ortográfico entre Portugal-Brasil, sofrendo algumas alterações em 1971, continua a ser norma oficial da ortografia por que nos regemos ainda hoje.

      II. TENTATIVAS PARA A UNIFORMIZAÇÂO DA LÍNGUA PORTUGUESA ENTRE PORTUGAL E O BRASIL

      Considerando as tentativas para uma uniformização da língua portuguesa entre portugueses e brasileiros, nota-se que, exceptuando uma quase unidade no século XIX, têm sido sempre pautadas por perspectivas divergentes.

      É visível o interesse que ambos os países sentem em encontrar uma norma ortográfica comum. Tal já vem a ser demonstrado desde 1907, ano em que a Academia Brasileira de Letras, sob a orientação de nomes ilustres, como Euclides da Cunha, Rui Barbosa e outros, projectava uma reforma idêntica à defendida por Gonçalves Viana. Mas o facto da reforma de 1911 ter sido feita sem qualquer intervenção do Brasil, motivou que, durante anos, os dois países utilizassem ortografias completamente diferentes (Portugal, com a ortografia moderna e o Brasil ainda com a ortografia pseudo-etimológica)

      Em 1924, reunem-se, pela primeira vez, as duas Academias (a Brasileira de Letras e a das Ciências de Portugal). Em 1931, as duas Academias chegaram a um acordo preliminar, dando-se assim alguns passos na convergência ortográfica entre os dois países. Mas os Vocabulários publicados em 1940, pela Academia das Ciências, e, em 1943, pela Academia Brasileira de Letras, continham ainda algumas divergências.

      Depois, ainda em 1943, tentou-se de novo uma Convenção Ortográfica, na qual teve origem o Acordo Ortográfico de 1945. Porém, enquanto em Portugal foi oficializado pelo Governo, o Congresso brasileiro não procedeu à sua ratificação.

      De tentativa em tentativa, parece que nenhuma das partes pretende ceder a divergências quantas vezes mais emotivas que linguísticas, e as negociações para a uniformização ortográfica não vão passando de projectos. Vários têm sido os encontros __ 1971, 1973-1975, 1986 e 1990 __, mas tudo continua adiado... para uma só ortografia... ou para a separação definitiva? E, ainda que digam que nos entendemos, a verdade é que parece entendermo-nos cada vez menos. A solução seria acabar de vez com preconceitos e definirem consentânea e definitivamente uma reforma justa não pelos povos mas pela língua que os une (ou desune).



Guilherme Ribeiro


http://esjmlima.prof2000.pt/hist_evol_lingua/r_gru-j.html



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (126)

Tento não ser só | 28Jan2017 14:21:14

Publicado por: Diana Balis

Tento não ser só 
Percebo todos os gostos em sonhos de transparência temperada 
Desejo é amor ferino, que invade a tênue sensação de segurança e garante ao pobre mortal todas as incertezas. 
Nunca vivi tanto desconforto. 
Remei, colhi, plantei, revolvi, debulhei, mergulhei, e pedi. 
No fundo, todos os sentimentos estavam disponíveis. 
Mas o amor desprezou meu sono. 
Deixa então eu dormir em paz!

Diana Balis

 

 

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (142)

Escrever como se diz | 24Jan2017 16:05:25

Publicado por: JoséSantos

 

A história da língua faz jus ao objecto: já muito se deu à língua sobre como se deve usá-la. Carlos Maria Bobone recorda pontos de viragem fundamentais e os vanguardistas que as protagonizaram.

Corpo confuso e enorme, enrodilhado em heranças contraditórias e novidades, moldado por regras abstractas e experiências quotidianas, ferido constantemente por sentenças eruditas e acometido por invenções populares, tão intrincado que uma simples mudança pode revolver todo o seu edifício, custa a acreditar que possa ser usado por qualquer boca impúbere.

Mais custa, ainda, perceber como é que uma lógica tão facilmente apreendida pode ser tão difícil de explicar: qual é a lógica da língua? Como é que qualquer criança sabe entrar – com maior ou menor mestria – num jogo de símbolos, em que a junção de sons produz significados diferentes, e sábio nenhum consegue explicar cabalmente a chave do código?

Poesia e prosa entrelinhas | 03Jan2017 15:21:13

Publicado por: Diana Balis

gisele.jpgPoesia, Prosa & Entrelinhas

Gisele Lemos

Hoje vou homenagear, o sonetista, Manoel Virgílio.

Manoel Virgílio Pimentel Côrtes, Sonetista, fez do soneto sua forma de expressão. Tem três livros publicados, todos de sonetos: “Mulher Estelar”, “Tratos de Amor e Outro Tratos” e “A Terra Em Agonia”, além da participação em várias antologias. Membro titular da “Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores” e Membro Fundador da Academia Virtual dos Poetas da Língua Portuguesa onde ocupa a cadeira cujo patrono é Vicente de Carvalho.

 

Eumanoel.jpg

Manoel Virgílio

 

Somente sou de um todo sua parte

e nada, neste mundo, nunca mudo.

Sozinho sou, apenas, um encarte,

um sócio sem gerência nesse tudo.

.

Eu guardo, p'ra mim mesmo, meu sentir,

procuro ser diverso em meu querer.[

Se tenho esse direito de ir e vir,

contudo me é negado o poder ser.

.

Eu sou somente um pingo na enxurrada,

das águas se movendo em turbilhão

que seguem, de roldão, num arrastão.

 

Eu sou quem tudo quer, mas não tem nada,

no ciclo da existência programada, apenas mais um ser na multidão.

Desigualdade

Manoel Virgílio

 

Somente elites na sociedade

mantém as regalias; é verdade!

Jamais houve na nossa humanidade

o que muitos pregaram…a igualdade!

 

Enquanto u'a minoria muito come

a grande maioria passa fome.

No luxo vai vivendo a minoria,

co'o lixo convivendo a maioria.

 

Se cresce a miséria entre o povo,

elites váo comprando algo novo

e o mundo nunca muda este rumo!

 

E quanto mais a técnica avança,

aumenta p'ras elites a abastança

e cresce a sociedade de consumo.

 

Ceia de Natalano_2017.jpg

Gisele Lemos

 

Teremos as pernas para que te quero, além de peru no Natal!

Rompantes deslizantes, em vez de sandálias havaianas, na praia de Copa.

Fogos, só sairão dos Hotéis da Barra da Tijuca, ou na orla à fora, de famílias inquietas.

Seremos pós virada, o sereno da madrugada, e os velhos amigos de sempre…

O colorido das roupas, poderão vir dos representantes dos Brasis em brasa, que acendem suas chamas na esperança, entre PEC, ou cai a PEC.

Mas todos de clavas nas mãos, vai que teremos arrastão!

E já seremos o carnaval, onde beberemos ao esquecimento e as mais soturnas votações de corruptos eleitos, ou nem tão eleitos assim…

Vai que cola, faz uma prece a Iemanjá, ou pede a Deus Pais todo poderoso a protecão ou a Oxalá, na pressa, ou prece, medite. 

E solicite a todos os santos, que a vida é curta, nem precisa ser tão dura ou louca.  

Mas pague suas contas ao menos, no 1o de Abril e seremos felizes um dia, com certeza.

Boas Festas!



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (169)

Academia Brasileira de Letras apresenta, Rio de Janeiro | 08Out2016 10:16:20

Publicado por: Diana Balis

unnamed_2.jpgA Academia Brasileira de Letras dá prosseguimento ao seu ciclo de conferências do mês de outubro, intitulado “Planejamento e Políticas Públicas”, sob coordenação da Acadêmica e escritora Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL. A palestra, com o Economista Chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper, será Desafios para o desenvolvimento inclusivo. O evento está programado para terça-feira, dia 11, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

Texto informativo do site

http://www.academia.org.br/noticias/economista-ricardo-paes-de-barros-fala-na-abl-sobre-o-tema-desafios-para-o-desenvolvimento



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (252)

Convite Porto, Portugal dia 8.10.2016. Coletânea e lançamento. | 28Set2016 13:55:29

Publicado por: Diana Balis

convite_coletanea9A.jpgConvite da Coletânea e lançamento que acontecerá em Porto, Portugal, dia 8 de outubro.

Muito feliz por ter sido selecionada entre os 3 poetas Brasileiros, e os 300 escritores inscritos nessa Coletânea.

Carinhosa saudação e sucesso para todos os envolvidos.
Agradeço aos organizadores do evento e coletânea

cartaz_coletanea9.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diana Balis.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (276)

Poesia Revista 2017, Convite | 28Set2016 13:24:50

Publicado por: Diana Balis

13920771_10201948379186905_9152309040708538012_n.jpgConvite

Escritor e poeta

POESIA Revista. Veículo Cultural Poético Nacional e Internacional, feito por quem escreve poesias.

Poesia Revista 2017 vem aí!

Já escreveu?

A Poesia tema será sobre o Meio ambiente.

Você poeta é nosso convidado participe.

Venha ser Coautor e parceiro conosco.

Entre no site e leia o regulamento da publicação anual ou no grupo do Facebook.

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfBLkCALc481_RfM3_aZOWIPdHemSyZ_SO3hJh89Svcrb_sYg/viewform?c=0&w=1site

Gladis DebleVanda Ferreira Bugra SararaEuclides JoseJosé Hilton RosaDina FrutuosoBeneditocarlos GonçalvesdelimaJefferson S. LimaBruno SilvaAna Paula SoeiroLaurimeri Oliveira AmaralAbilio FernandesMárcia SchweizerDenise MachadoRui de Carvalho Iolanda BrazãoSergio MoreiraSérgio CortêzGisele Sant Ana LemosAlex SartorelliRonalda TeixeiraKatia Pires ChagasRozelia Scheifler RasiaGilza SupertiWanderley Rebello FilhoGizza MachadoArlene RochaAndrigo MorgadoNilson KobayashiGabriela KobayashiElzio LealMarisa QueirozDalberto GomesPetronilha Alice MeirellesZaly BarbozaRonis Elson RuachJosé LourençoConcha RousiaNara OliveiraGiselle Farinhas
Marcia Duro Mello Tânia Mara Camargo são poetas que já estão conosco.

Gisele Lemos

Coordenação Geral



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (209)

Amor de vida | 15Set2016 10:51:22

Publicado por: Diana Balis

570443.jpgAmor de vida

Diana Balis

Amor de cantigas

Agradam todos os meninos…

Flores coloridas na primavera

Espaço infinito ao calar tempestades de granitos

Cometa! Cruze o céu da esperança.

Lance os folguedos de festas juvenis.

Abrevie o tempo, dance e cante.

As corridas alargam, com o vento forte.

Nada abranda o calor do amor.

O assobio do pássaro pia no amanhecer,

Acordando mais um dia de amor,

Amor de vida.

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (264)

Sarau Café & Poesia Revista. | 12Set2016 13:54:29

Publicado por: Diana Balis

14237719_1213125265375144_4679385467548149418_n.jpgSarau Café & Poesia Revista.

Encontro de Poetas e Artistas no Doces Lembranças, no Recreio dos Bandeirantes, RJ para o ÿSarau Poesia Revista. O grupo declamou, conversou sobre Teatro, Cinema e Literatura.

Poetas e Jornalistas presentes:

Márcia Schweizer, Denise Machado,(jornalistas),Ronis Elson Ruach, Valleska Cabral, Lenita Holtz, Rodrigo de Castro, Adriano Nascimento e eu. Anfitriäo Márcio, nos recebeu com um delicioso bolo de cenoura com cobertura de chocolate.

Entardecer | 15Ago2016 15:34:45

Publicado por: Diana Balis

13901326_10201995646128549_8693555484604996590_n__1_.jpgEntardecer

O frio gela e a ventania nem perdoa a tarde 

Vai investir em rios poluídos jogados ao mar revolto 

Pernas que revelam risos soltos em gestos acrobáticos e atléticos 

Morenos velhos e cansados saem sem seus cães ao luar 

Vibra o torcedor no alcance do sentido de tantos engarrafamentos 

Brasil, Brasil, verde e amarelo, 

O varonil nem esta febril, só cede aos canibais...

Diana Balis, Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2016.

 

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (177)

Competir e Lutar | 11Ago2016 15:09:13

Publicado por: Diana Balis

04110952_g.jpgCompetir e Lutar

O Rio continua lindo
A vista Chinesa esta repleta de incertos olhares
Trem de passagem, não leva nem trás alguém.
Turistas sejam bem vindos a sujeira olímpica.
E a grana que saiu de nossos bolsos, sumiu entre as obras, que mal findaram...
Sem medo de se alancar, alcance o seu título,
E enxergue a ponte que caiu, o mar que subiu, e o lixo que ainda boia na praia.
Nem briga, só grita! 
Os competidores já se alancam as eleições
Os cínicos representantes dessa maravilhosa ilha, onde guardam seus vinténs,
Amém, dizem todos.
Vista o amarelo, porque o verde já ruiu na lama da ganância de tolos
 
Rio de Janeiro, 11 de agosto, Diana Balis, desgosto.

Arte é | 05Ago2016 11:21:54

Publicado por: Diana Balis

 arte_que_respiro_e_vivida_por_mim_nos_momentos_em_que_a_homenagem_vai_para_o_povo_brasileiro_e_gisele_lemos_frase_14372_94815.jpg

 

 

 

 

 

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (153)

Velho Chico | 03Ago2016 16:36:34

Publicado por: (......)

Vellendas_sao_francisco.jpgho Chico

Velho Chico, que saudades!

Navega o coração com sintonia

No destino as voracidades

Desfila correntezas em fios de sincronia

Dia e noite estrelada

Avançada a mata adentrada.

Aguardo as aparições de noivo guerreiro

Entre os sulcos do namoradeiro

O Chico cede passagem à transpiração

Marcou o compasso da solidão.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 4 de junho de 2011.
Lendas: 
" A Lenda do Sono: A lenda conta que o despertar do rio pode custar caro. Contam que o Velho Chico, trabalha o dia inteiro para atender as necessidades das pessoas, e adormece à meia noite. As almas dos afogados se dirigem para as estrelas, e a mãe d’água sai das águas e enxuga seus cabelos, e os peixes param no fundo do rio e até as cobras perdem o seu veneno. Essa calmaria pode parecer o momento ideal para pescar e navegar, mas a lenda conta que o despertar do rio pode custar caro."

Olimpíadas 2017 | 01Ago2016 14:26:23

Publicado por: Diana Balis

20150904_CO_INFRA_POR_praca_maua_AA_4256_1600x1067.jpgAgosto que vem de graça

Sem o gosto para tanta desgraça

Um corre, corre, que refila

Falta o dinheiro da cachaça...


Tem o ciclista que ficou de pé,

Um cachorro olhando a paisagem,

Vem gente de longe querendo canapé.


Os coloridos aros de CIDADE OLÍMPICA

Falta o metrô para o povo

A vida segue acrobática.


Vai começar tudo de novo,

O circo sem pao na épica

Cidade Fantástica. 

 

Rio de Janeiro, 22 graus, e milhoes de gastos, e o retorno será????

Diana Balis, 1 de agosto de 2017. Rio de Janeiro.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (253)

Homenagem a Jô Soares/ Menino Ainda | 18Jul2016 14:25:43

Publicado por:

Beija a mão de todos que carregou no colo, na sala de suas entrevistas...

Inteligência febril, nunca lhe faltou.

Poucas omissões, e sempre o bom humor característico, carioca, sim, ele é 

Propriedades que nos apropriamos, e ao veloz passar, numa lambreta na orla do Rio, tão grande, ou o veículo era minúsculo

Nada importa, sua trajetória espetacular, é quase um programa fantástico sozinho.  

Claro, nunca esqueceremos de seu grupo, sua banda, e da irreverência artística, sua disposicão calorica, para a arte de fazer do entretenimento a vida e alegria de muitos espectadores. 

Antes tarde do que nunca, uma mera homenagem, e eu quero saber, o Jô! Onde você for, me leva que eu vou, e um carrilhão atrás...

Maior que a banda de Ipanema, é com esse eu eu vou!!

Menino ainda

O Travesso desperta 

Na mesa de bar

Repassa e revive os trajetos 

Expressos nas telas das emoções

A via de mão dupla

Entre risos de mar 

Vislumbra no horizonte

O cansado calar,

Declara irrequieto 

Ao novo despetalar.

E novamente as cortinas,

Revigoradas, respiram

é brilho eterno

Jo Soares ao vivo.


Diana Balis, Rio de Janeiro, 18 de julho de 2016.

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (229)

Respirar felicidade | 17Jul2016 16:14:25

Publicado por: Diana Balis

IMG_20160714_WA0013_1.jpg

Respirar Felicidade

O fástio é o tédio do mar debatendo-se em segredos,
A vida refloresce entre medos musgos e rochedos,
Cai a chuva suavemente quente face aos novelos.
Transforma o relativo brilho dos olhos em veredas
 

No caminho do sol brilham as estrelas
E plainam colinas entre areias e corpos
Mas o amor cresce em relva danina
Atravessando fiapos de luz em frestas

Na calmaria dos sentidos os pedaços perdidos
O rebento nascerá mesmo do medo
Descontrolado destemido e dessentido
Para viver, basta respirar felicidades.

Poesia do Livro Verdes e Perfeitos Amores de Diana Balis. Foto de Alexandre Saboya

Saudades das Raízes | 14Jul2016 12:06:35

Publicado por: (......)

 Raízes da Terra

Folguetos julhinos

Festas populares

Quermersses nas Igrejas

Canudos de amendoins

Preces ao Santo

Quadrilhas e fogueiras

Batatas assando no fogo

Tem remendo nas vestes

 

 

Um dia o desejo será radical

São Gonçalo, aceite o pedido,

Será que tanta saudade, vira raiz?


Diana Balis, Rio de Janeiro, 14 de julho de 2016.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (235)

Cai suave à noite | 09Jul2016 23:42:58

Publicado por: Diana Balis

Cai suave à noite

Os pingos decertos, navegam o luar crescente.

Urge o tempo devagar...

E por espalhar as dores desertas de folhas secas,

Navegam as vozes do meu olhar silente.

Beijo brisas entre flancos... 

O desejo ressurge e grita.

Vem romper o silêncio que me agita. 

Pintura de Vicent Van Gogh Noite Estrelada sobre Ródano.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 10 de julho de 2016.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (211)

Turista, olhar o Rio de perto. | 06Jul2016 19:05:04

Publicado por:

O Turista chega na Cidade do Rio de Janeiro, todo cabreiro. 

Muito preocupado com a situação geral e irrestrita, dois vídeos vistos.

Ciclovia, já era. Metrô, quem sabe?

As mulheres todas loiras, até as morenas e negras?

Cabelos todos lisos, ufa! _ Uma aqui, escapou do estilo, todas no formato igual de ser...

 

Os homens de bermudas e sandálias havaianas, jeito interessante de sair com  suas mulheres arrumadas, ou de micro vestidos e shorts. Frio? Sem sentir.

Sair do Recrieo e ir para o Centro da Cidade me divertir? Nem pensar? Longe pacas...Já atravessei um oceano... 

Paisagens, planos, montanhas,rios, mar e horizonte.

Sorrisos.

_Sim, um certo bom humor carioca de viver a vida. 

Pode ser que eu recomende o Rio, ou nunca mais volte. Mas tudo difere.

A vida do outro lado do mundo, o olhar do outro, o meu, e o viver nessa Cidade...Maravilhosa!

Vejo os obstáculos, para ir e vir, e nesse Brasil, vasto e politícamente corrupto...

Competir e vencer. Ganhar e perder.  

Metas, eu as desejo para todos...

No meu caso, vim, torcer... e vencer.

Diana Balis (prosa amena de crise)



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (204)

Poesia ao Vento | 28Jun2016 14:08:57

Publicado por: Diana Balis

Parapente_.JPG

Poesia ao Vento

Cai suave o tempo.
Sem sol, o colo é ameno.
Recordo de longe as Ilhas.
Saudades do jogo de bola que rola,
Sem nunca ter um menino...
Nunca vivi o furacão
E os maremotos do Japão.
Traço a vida nas oportunidades que virão.
Agradeço as cantigas de ninar,
Os canudos de amendoins das quermesses,
O alvo sem tiro certeiro.
E no mirar o cerco fechado por inteiro,
Balançar a rede no tempo
De meninas.



Diana Balis, Mãe. Rio de Janeiro, 3 de outubro de 2011.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (189)

Noite | 04Jun2016 17:30:39

Publicado por: Diana Balis

IMG_20151218_192600661.jpgNa penumbra já planejamos o luar.
A cheia repleta de luz,
Ilumina os canais, entre o rio e o mar,
O acolhimento da brisa suave,
Navega nas ondulações da espera.
O calor aquecendo os reflexivos  amantes.

Beija meu horizonte...
Esteja onde estiver,

translúcido coração,
Volte ao seu porto real.

Gisele Lemos, Poeta Diana Balis

foto de Maira Cadaxa.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (232)

REVISTA POESIA LEGAL 2016 | 01Mar2016 14:51:39

Publicado por: Diana Balis

TEMA ADOLESCENCIA E JUVENTUDE

CONVITO OS POETAS INGRESSEM EM

 NOSSA REVISTA REALIZADA EM COPARCERIA E ANUAL.

Romance.jpg

 

Apaixonados.jpg

 

VENHAM CONOSCO FAZER PARTE

 DESSA REVISTA DIFERENTE E CULTURAL.

2016 PUBLIQUE SUA POESIA COM FOTOS E CORES.

COORDENACAO GISELE LEMOS

EDITOR NERI PAULA. 

LINK

 https://docs.google.com/forms/d/1MvFZttNgaEttOeYC0veoMoRMHVDqj9IIK66PX38z3Tk/viewform



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (165)

Marília Pera, Homenagem: Vida e redescobertas | 06Dez2015 08:59:59

Publicado por: Diana Balis

 Marília Marzullo Pêra foi uma atriz, cantora e diretora teatral brasileira. Além de interpretar, Marília cantava, dançava e atuava também como coreógrafa, produtora e diretora de peças e espetáculos musicais

 

Vida e redescobertas

Um desalinho em meus cabelos

No colo do carinho

Meus amores e rompantes

Desejos e personalidade

Nunca fui de submeter-me!

Sempre tão lúcidamente profissional

Exigente, eloquente, impenetrável no mundo de construção e  personagens

Um amor para acompanhar meu carisma.

Uma flor em cada estreia.

Sou Deusa, humores e reticências...

Falem da luz mais brilhante, nesse Brasil só recebeu conquistas.

Brilha à estrela no céu,

Marília Pera.


Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 2015. Diana Balis.

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (361)

Acredite em carnavais | 23Nov2015 10:46:24

Publicado por: Diana Balis

A vida está nos olhares de quem sabe ter o outro por perto.

Não faço novelas da minha vida,

Mas dou trela a um louco que apareceu aqui, vestido de Arlequim. 

Fantasiado e cheio de alegorias,

Se dizendo, amado querubim?

No entanto, eu, deixada ao léu,

Tirei todas as fantasias,

E rasguei o véu.

Desisti de todos os carnavais.

 

Diana Balis, Rio de Janeiro, 21 de novembro de 2015.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (344)

Diana Balis para Cruz e Sousa Poeta Cisne Negro que viveu entre (1861-1898) Homenagem | 20Nov2015 09:36:22

Publicado por: Diana Balis

Siderações

Para as Estrelas de cristais gelados

As ânsias e os desejos vão subindo,

Galgando azuis e siderais noivados

De nuvens brancas a amplidão vestindo...

Num cortejo de cânticos alados

Os arcanjos, as cítaras ferindo,

Passam, das vestes nos troféus prateados,

As asas de ouro finamente abrindo...

Dos etéreos turíbulos de neve

Claro incenso aromal, límpido e leve,

Ondas nevoentas de Visões levanta...

E as ânsias e os desejos infinitos

Vão com os arcanjos formulando ritos

Da Eternidade que nos Astros canta...

Cruz e Sousa

 

Considerais o vento

Estrelas luminosas caindo ao mar de lama

O tempo do mal entre os arcanjos desfeitos

No sorriso os desejos de infinitos beijos

Desfeitos, como desalinhas os cabelos

O vento forte abre asas e flutua, rasga o céu

O cometa surge no chão de vaga-lumes

E o suor escaldado desce como o amor, flutuante

Nada como um revolto mar para aplainar com o tempo

Esse amor será infinito

Enquanto as cantigas para ninar os ventos desaparecem entre as nuvens.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 20 de novembro de 2015.

Homenagem a Cruz e Sousa, o Poeta Negro que nasce na Cidade Nossa Senhora do Desterro, Florianópolis em 24 de novembro de 1861. 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (450)

2a Revista Poesia Legal 2016, Poeta participe seja mais um coautor, inscreva-se! | 20Nov2015 09:09:20

Publicado por: Diana Balis

 2a Revista Poesia Legal 2016, Poeta participe seja mais um coautor, inscreva-se!

Link: https://docs.google.com/forms/d/1MvFZttNgaEttOeYC0veoMoRMHVDqj9IIK66PX38z3Tk/viewform

Tema: Adolescência e Juventude



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (270)

Acordei | 12Nov2015 09:46:14

Publicado por: (......)

Hoje ouvi os pássaros bem mais cedo em revoadas

O beija-flor-de-veste-preta almeja mangas frescas em céu nublado

O azul cultua a espera que nunca acontecerá...

O desprezo pelas criaturas e seus entes, alcançam o horizonte sem fim.

Existe tanta ganância nas contas (de água, luz e telefone!)

O humor  "veste prada", num gosto de Louis Vuitton.

Entre o que despes, uma escultura celeste reaparece.

A fênix, veleja entre as cinzas.

Apolo, seja digno de Afrodite.

Exala o provocative Elizabeth Arden que evapora em alvorada.


Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2015. Diana Balis



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (317)

Simpatia é quase amor | 11Nov2015 09:45:25

Publicado por: Diana Balis

Simpatia é quase amor

Simpatia é quase amor
É rir sem jeito com dor no peito
E viver o amor desfeito
É saber nascer de novo em cada Porto de verbo atracar
É viver em demasia a folia de Reis
E correr de pivetes ao menos uma vez
É comer pão quente em padaria
E tomar café com as empanadas de frango
É ser moleque sem trejeitos
E pintar os canecos
É servir ao Deus todo poderoso
E nunca sem esquecer de agradecer
É a vida viva
E temos que viver
E enquanto a danada "mardita" da bebida nem vier me deter
Serei a estrela brilhante do meu quarto
É onde amargo o acordar
E meu angustiado ser a nadar
É onde o mar, vem do verbo amar.
Diana Balis

Projetos apoiados pelo Mistério (Ministério) da Cultura | 08Nov2015 15:36:18

Publicado por: Diana Balis

MINHA QUESTÃO É:

PORQUE O mINISTÉRIO DA cULTURA, APOIA PROJETOS, NO MEU ENTENDER, COMPLETAMENTE VINCULADOS AO mINISTÉRIO DA eDUCAÇÃO E UNIVERSIDADES???

Estudo de casos?? Intercâmbio de formação? Bolsa de moda?? Mestrado?Será que não seria o caso de muitos desses projetos, terem sua validade em convênios com o Ministério da Educação? E suas respectivas faculdades, universidades? E porque até a Prefeitura do Rio de Janeiro, faz projetos de intercâmbios para pesquisas sociais com Universidades do Canadá?? Essa não é função da Educação???

 

nÃO ERA PARA APOIAR A CULTURA POPULAR NACIONAL?? E OS PROJETOS POPULARES BRASILEIROS??

ESSES PROJETOS MUITOS DELES, PARECEM SAIR DE BANCOS UNIVERSITÁRIOS E de FORMA ESCANDALOSA, a CAPTAÇÃO de recursos, FORA DO QUE EU CONSIDERO CULTURA!!! Confiram e digam o que pensam??

DIANA BALIS

 

2º Divulgação da Fase de Seleção - Final (2) 1
MINISTÉRIO DA CULTURA
Secretaria de Economia Criativa
O Secretário de Economia Criativa, no uso das atrib
uições legais que lhe confere o Art. 17 do Decreto
nº 7.743, de 31 de maio de 2012, bem como o dispost
o no artigo 21, §1º, da
Portaria MinC nº 29/2009, bem como nos itens 11.17 e
11.18 do Edital Conexão Cultura Brasil Intercâmbio
s 01/2014, da Secretaria da Economia Criativa, publ
icado na Seção 3 do Diário Oficial
da União de 31 de julho de 2014, resolve:
Art. 1º Tornar pública a relação dos requerimentos
selecionados pela Comissão de Avaliação e Seleção d
o Edital Conexão Cultura Brasil Intercâmbios, para
participação em eventos
culturais cujas viagens estejam previstas para janeiro de 2015:

http://www.cultura.gov.br/documents/10883/1171222/2%C2%BA%20Divulga%C3%A7%C3%A3o+da+Fase+de+Sele%C3%A7%C3%A3o+-+Final+-+30122014.pdf/e440ac01-127f-40c8-bff4-b85c03c5bcb3



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (342)

O mundo gira | 04Nov2015 02:43:39

Publicado por: Diana Balis

O mundo revolta-se

Vira, gira, rebola e embola.

Num segundo à frente, uma maré de sorte que abale.

Nada de implorar, medir, cismar.

A correnteza leva com frieza como contempla o mar de sentimentos...

A reviravolta do mundo é tanta, como uma corda bamba, sublime que sublinha. 

Então samba, bamboleia e descubra as curvas de um teclado.

O equilíbrio, a certeza, e tudo o que virá a seguir, é um novo rolo de filme que passará.

Como um redemoinho no incalço, o cheiro de encanto, o mergulho profundo no mar dos anseios...

O mundo gira, vê? Já percebe como reflete em suas escolhas?

Sele o seu futuro, joque as pipas no ar, e voe.

Rio de Janeiro, 4/11/2015. Diana Balis



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (294)

Circus Sublime acontecerá nessa 4a feira às 19h na Galeria 80 em Copacabana.Homenagem ao Circo por poetas. | 02Nov2015 09:22:04

Publicado por: Diana Balis

12144935_10200979855174410_1771454715004389493_n.jpg

Circus Sublime acontecerá nessa quarta-feira às 19h na Galeria 80, em Copacabana, Rio de Janeiro.

Poetas realizam uma festa de lançamento de Cd Circus Sublime Poético,produção coletiva, em Homenagem ao Circo Nacional e ao Palhaço Carequinha.

Música Circo de Luiz Felipe Rezende, violão e voz com Gisele Lemos, Marcus Flecha, teclado, Denilson de Paula, bateria e percussão.

São esses os poetas participantes:

Abílio Fernandes- Circense!

Mary Trarbach- Acorda Cidade, a magia chegou!

Benedito C.G. Lima- O Circo

Ronalda Teixeira- O meu palhaço

Marina Moreno- Nunca deixem de rir

Leandro Ervilha- Respeitável Público

Alexandra Vieira de Almeida- Chuva Malabarista

Alex Sartorelli- Las Leben

Rosângela S Goldoni- Picadeiro da vida

Joelson Barcellos- Saudades

Diana Balis- A bailarina equilibrista

Ana Paula Soeiro- Circus Sublime

José Hilton Rosa- Rebeldia Jovem

Márcia Schweizer- Sonho de Criança

Sergio Moreira- Hoje tem Palhaçada? Tem sim senhor!

Valeska Cabral- Fonte de Sorrisos

Gizza Machado- Mergulho Profundo

Ressy Marie Penafort- Amo apaixonadamente

Bruno Black- Até Quando!

Poesias Interpretadas por atores: Joelson Barcellos, Gisele Lemos e seus autores.

Realização: 10537022_10200983340701546_956076933854360076_n.jpg

Circus Sublime Poético

Coordenação Geral: Gisele Lemos

Direção Técnica: Vanius Marques Soluções em Áudio

Capado Cd: Artista Plástico Alexander Pacheco

Apoio: Grupo Conto & Cena e Vanius Marques Soluções em Áudio.

CD Circus Sublime, Todos os direitos reservados ao autores, obra única sem fins lucrativos e fora do circuito comercial. 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (446)

18a Feira do Livro Sesc Bagé, RS com a Patrona Poeta Gladis Deble | 22Out2015 10:30:35

Publicado por:

10299528_915233798556626_6315295029403335559_n.jpgA 18a Feira de Livro de Bagé, Sesc, foi um sucesso!

Os dias em que passei no Rio Grande do Sul, Bagé foram de muito frio e chuva, mas com muita alegria posso dizer que a 18a Feira do Livro de Bagé tem um diferencial, aconchego e é sucesso. Vivi numa Cidade repleta de talentos.

Pude conhecer personalidades do Cinema, artistas, músicos e o talento é tanto no meio literário como no cinema e teatro.

Aqui no palco eu Gladis Deble Patrona e Vera Jardim.



A atenção das profissionais do Sesc Bagé foi especial agradeço a Liziane Mieres dos Santos Lucas e Jolvana Trentin e toda equipe SESC Bagé.

12096641_902353169818622_6959814180003664604_n.jpg

E as queridas: a Patrona amiga Gladis Deble sempre recebendo os seus convidados com especial atenção

O excelente dia de debate com Arnaldo Antunes, e que podemos de perto perceber, um homem além da inteligência e carisma, a vida dedicada às Artes. Adorei!

Gladis Deble eu e Vera Jardim (foto acima) selecionamos os melhores textos do 1o Concurso de Poesias de Bagé. Parabéns aos vencedores premiados. Foram 34 textos inscritos divididos em três categorias, estudantes, adultos e maioridade.  Uma iniciativa de Gladis Deble com apoio do Sesc Bagé com medalhas e troféus aos vencedores.

Jornalistas presentes como  a Colunista querida Marcia Duro Mello sempre carismática e atenciosa que nos cedeu algumas fotos aqui nesse nota.  Muito feliz por fazer parte desse time escritores, feirantes e livreiros, artistas. 

Samuel Sodre (fotos na Galeria)  sua participação com a melhor idade e atividades em palco, pude assistir a mostra de filmes, com os diretores presentes. Parabéns a todos os presentes e convidados.

12079179_10200971528606251_8583595502994541798_n_2.jpgLevamos o Poesia & Cena, curta  com a participação de poetas cariocas declamando poetas do Brasil e Portugal da Revista Poesia Legal . O curta que realizamos em parceria com a EAT- Escola de Artes Tecnicas Luis Carlos Ripper com o professor  Marcelo Gomes. 

Aguardarei o próximo ano! Parabéns Bagé!

 

 

 

 

 

 

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (369)

Aprecio | 22Out2015 09:11:47

Publicado por: Diana Balis

Gostava de ouvir o mar ao longe na invasão de Trancoso,

Ouvir o vento forte balançando os coqueiros.

Aprecio o chão de vaga-lumes,  

Era imensa a planície feita de bichos na escuridão da noite que como estrelas cintilavam, onde eu pisava, em Rio Acima...

Sinto o prazer em cavalgar, na Fazenda São João, e de brincar com as crianças, apostar corridas e perder.

Andar de canoa, e subir em árvores sem conseguir descer em Três Corações.

Mirar os alvos imaginários, e dar tiros arremessando bolinhas, em São Tomé das Letras.

Gosto de homens que são tão meninos!

E pergunto por suas mães, sempre tão solícitas, como educar os filhos para serem homens gentis?  

(As mães criam sempre os meninos diferentes de meninas?)

Sentir o frio nem é tão bom, mas me faz viver congelando.

Chover é gostoso, mas viver chorando, não faz bem a ninguém...

Mas lava a alma da poeta, que aprecia a vida além do horizonte de Cidades grandes.


Rio de Janeiro, 22 de outubro de 2015. Diana Balis.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (347)

Rádio Barra | 06Out2015 12:08:11

Publicado por: Diana Balis

12042982_1710453289183485_8193348111792763108_n.jpgAmigos nova Rádio Barra, aplicativo para celular, músicas, reportagens, matérias, acessem. Tome uma atitude, é o programa onde eu espondendo perguntas dos ouvintes.  Acessem:

www.radiobarra.com/

 

 

 

 

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (278)

18ª Feira do Livro de Bagé,RS,Dias 7 a 12 de outubro. Confiram a programação teremos Arnaldo Antunes e também,eu. | 28Set2015 12:09:26

Publicado por: Diana Balis

11994249_894282593985080_282827870_n_1_.jpg

 

Tema: Ler é divertido como brincar.

  Patrona: Gladis Deble

 

 Data: 07 a 12 de outubro de 2015.

 

 Local: Praça da Estação

 

 

 Horário de funcionamento: 9h às 21h

Nas fotos a Poeta e Patrona Gladis Deble com a Revista Poesia Legal, que representaremos na 18ª edição da Feira do Livro de Bagé, Rio Grande do Sul.

A 18ª edição da Feira do Livro de Bagé, Rio Grande do Sul, já tem data definida. O evento, que novamente será realizado na Praça Júlio de Castilhos (da Estação), acontece entre os dias 8 e 12 de outubro. A programação foi definida segundo o Sesc.
De acordo com a agente de cultura e lazer do Sesc Bagé, Jolvana Trentin, por ser realizada na semana do dia da criança o enfoque será voltado ao público infantil. “Claro que não vamos deixar de lado os outros públicos, mas vamos aproveitar a data”, garante.
A Feira do Livro será lançada no mês de junho, como ocorreu no ano passado. Segundo Jolvana, o espaço de divulgação dos artistas locais seguirá como já é tradicional. “Os interessados em nos trazer propostas, sugestões já podem nos procurar. A programação da Feira será apresentada em junho. Mantemos nosso espaço para divulgação de escritores e também músicos e outras manifestações artísticas locais durante a feira”, destaca.
O evento que reúne lançamentos, venda de livros, apresentações artísticas e bate-papos será realizado pelo terceiro ano na Praça da Estação. A mudança de local (anteriormente na Praça Silveira Martins) foi bem recebida pela comunidade, que afirma ter mais espaço para circular e prestigiar. Em 2014, mais de 20 mil títulos foram vendidos durante a Feira. Cerca de 10 mil visitantes passaram pelo local.
Todo o projeto e programação pode ser lida nesse link.
 
Resumo de algumas das atividades:
 
7 de outubro
9h – Abertura Oficial da 18ª Feira do Livro de Bagé, no Palco Principal 
9h30min - Homenagem à Patrona Gladis Deble, promovida pela Associação Bageense de Escritores Independentes, no Palco Principal

8 de Outubro
17h - Café com a patrona, no Espaço Carlos Urbim 
18h - Lançamento Literário da Antologia Cultura Sul 2015, no Espaço Carlos Urbim 
19h -1º Ciclo de Cinema Universitário da Urcamp na Feira do Livro com coordenação de Glauber Pereira, no Palco Principal 
19h - Um Diálogo de Direito com a Comunidade III , com o tema "A importância da criação de lei que determine os provedores e locais públicos de acesso à internet a manterem em seus bancos de dados, por cinco anos, arquivos com identificação e atividade de seus usuários".
9 de outubro
17h - Café com a Patrona e Sarau com a poeta carioca Gisele Santana Lemos, no Espaço Carlos Urbim

19h - Oficina de Literatura Infantil: construindo histórias e jogos de linguagem das inteligências múltiplas, com acadêmicas da Urcamp, sob a coordenação da professora Ada Maria Machado Guimarães, no local Sala de Multimeios do Sesc 
19h30min- Lançamento Literário do livro “Colorindo Bagé”, de Stela Vasconcellos, no Espaço Carlos Urbim 
20h - Apresentação Musical com a banda O Samba, a Bossa e as Novas, no Palco Principal
10 de outubro
15h - Contação de Histórias com a poetisa carioca Gisele Santana Lemos, no Palco Principal
11 de outubro

16h - Oficinas com País & Filhos, com dinâmicas criativas intercalando com as histórias infantis, com a poetisa carioca Gisele Santana Lemos, no Palco Principal
12 de outubro
10h30min- Hora do Conto da Biblioteca do Sesc, no Palco Principal 
15h - Exibição do Filme Zarafa, projeto Cine Sesc, no Palco Principal 
16h – Oficina “Literatura de não ficção: como narrar a realidade de forma literária”, com os jornalistas Felipe Laud e Giuliana Bruni, no Espaço Carlos Urbim
18h - Lançamento Literário "A Rainha da Fronteira: Fragmentos sobre a história de Bagé", dos autores Cássio Gomes Lopes e Edgard Lopes Lucas, no Espaço Carlos Urbim 
18h - Show de Encerramento da 18ª Feira do Livro de Bagé como Show PIÁ do Grupo Sonido Del Alma Gaucha, no Palco Principal.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (472)

Quem projeta em mim | 24Set2015 19:32:57

Publicado por: Diana Balis

Quem projeta em mim algo grandioso, erra feio, gosto das coisas simples, gosto de andar à cavalo, caminhar na floresta, observar quando os pássaros piam alto, olhar o por do sol na praia. Sou de participar de antologias poéticas, aprendi com o incentivo de amigos de Portugal e escrita diária. Meus talentos? Sim, tenho. Componho intuitivamente, canto todos os dias, o que me permite ter uma voz soprano com técnica vocal, fiz teatro na vida inteira, então sou uma boa intérprete, já pintei quadros, fiz os desenhos de meu primeiro livro poético e único Signo do amor. Eu todo dia agradeço a Deus. Formação e família presentes. Mesmo eu sendo a incoerente artista, no meio de analistas. Psicóloga, poeta, sempre lutei pelo respeito humano. Minhas dúvidas são relativas ao caminhar da humanidade. Igualdade, fraternidade, liberdade, um sonho. Vivo sonhando e realizo muitos projetos coletivos em parcerias. Ganho o suficiente para viver e realizar sonhos. Nunca faço além das possibilidades, e acredito que fazer poucos livros com qualidade é arte. Faço livros de feltros para bebês. Gasto poucas árvores da natureza para produzir textos, poesias, tudo online. Sim, gasto energia. Energia tenho demais. Agradeço a Deus. Agradeço por ter poucos amigos, por ter família, por ser quem sou.
Hoje acordei com as corujas, e faço uma reflexão de vida. Onde vou? Sim sei. Como todos. Vou viver mais um pouco com esperanças. Criando um mundo melhor onde os sonhos pequenos aconteçam.
Boa tarde.
Gisele Sant Ana Lemos



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (317)

Festival de Arte de Rua do Rio de Janeiro acontece em setembro | 22Set2015 12:26:45

Publicado por: Diana Balis

11260454_757691014356439_2145290801317109934_n.jpgFestival de Arte de Rua do Rio de Janeiro acontece em setembro

A ideia partiu desde Buenos Aires e várias cidades do mundo aderiram, realizando seus próprios festivais na mesma semana. O Rio de Janeiro é uma cidade que ha três anos tem a lei 5429/2012, a Lei do Artista de Rua.

No Rio de Janeiro em oito praças apresentarão mais de quinze grupos e artistas independentes. O evento não conta com nenhum financiamento público ou privado. É realizado de maneira autônoma pelos artistas que fazem parte da programação e sua realização só é possível graças à contribuição dos espectadores ao chapéu.

fdds



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (491)

Para não dizer que não falei de flores. | 14Set2015 11:33:51

Publicado por: Diana Balis

Cultua a vida que valoriza à vida.

Reverta as imagens e verás um mundo de cabeça para baixo,

Seremos nós e um tantos sós?

Nós de noz...

Um caminhante reflexivo em uma ilha deserta...

Lá tem tantos tesouros, e um ouro escondido

Que lindo vê-lo!  E o velho mar à brilhar ao longe.

Nem todos vão ao além mar, e nem todos viajam de verdade.

Mas o caminhar alcança os espaços inimaginágeis.

A sensação é pretensiosa.

E para não dizer que não falei de flores,

Dedico o dia ao silêncio.


Poesia de Diana Balis. Rio de Janeiro, 14 de setembro de 2015.

(Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores, música de Geraldo Vandré)

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (320)

Um Rio renovado, acreditem, para Inglês ver e aplaudir. | 13Set2015 12:45:37

Publicado por:

11998780_10207287767053224_2003779483_n.jpg

Ontem vivi um dia de Artes.

Posso dizer que gostei de ir na fábrica Bhering, não nego a minha intelectualidade e sei o valor das coisas caras. Os artistas, sempre serão valorizados.

Na foto com o queridíssimo já homenageado nesse site fãs de Paulo link:http://dianabalis.blogtok.com/blog/31620/

Porém via-se que ali tinham empresas culturais vinculadas ao Sr Malta,…. Arquitetura linda, bom gosto o contemporâneo disfarçado, cult e são os novos ricos.

Confiram as fotos na lateral, Galeria.

Parabéns Sr Prefeito Eduardo Paes. Muitos espaços novos e renovados.

Uns com filas enormes e os preços impopulares. Mas arte é cara? Demanda tempo e muito dinheiro.

E outros espaços com a cara de barato, expondo para um público pra lá de elitizado, e as vendas? Tudo muito caro também.

Tive uma sensação de a Zona Sul mudou para a Praça Mauá ontem.

Coisa lindas, ideias fantásticas, artistas são sempre competentes no que produzem.

Mas a elite carioca estava presente. Tudo que é arte é caro?

E a Cultura do Rio de Janeiro também se faz com as empresas paulistas (na noite anterior estouraram as caixas e as projeções??) e também com os dedos da “ P”Conjuntura???

Continuem apoiando os empresários ricos, sim, fazendo a mesma maquiagem que antes existia nessa Cidade.

Um dia, porém,a cultura e as artes estarão nas mãos do povo.

Que realmente conseguem transformar a mandioca brava em cola. ("A brava, devido à presença de grande quantidade de ácido cianídrico, como se constatou, era muito venenosa. Mas a brava, que vinha a farinha (farinha-de-pau) que os índios aprenderam a fabricar, eliminando o seu mortal veneno pela lavagem, cozimento ou por longa exposição da raiz e de seus subprodutos ao sol " ) e fazer das tripas o coração em suas vidas, para ressurgir das cinzas.

Numa Cidade do Rio de Janeiro, caótica, onde ninguém mais pode ir e vir sem gastar gasolina, ou andar enormes distancias a pé, correndo os riscos, isso para todos os Cidadãos da Cidade carioca.

E sem os transportes públicos, estamos vivendo e correndo os riscos diários.

Eu fui tentar ir a Niterói sem ter carro?? Você já experimentou?? Viu o perigo que é andar de noite a pé na escuridão na Rodoviária?? Ou no Centro para tentar pegar uma barca? Ou já ficou a pé no Recreio dos Bandeirantes? Correndo riscos entre as ruas e quadras sem nenhum transporte por quarteirões enormes??

Sim, essa Cidade será para o Europeu ver, quando eles chegarem, se as obras acabarem, e até lá@

É você que corre riscos diários, caro Cidadão comum. E se conforma, esperando e aguardando o fim delas. As obras, uma saga! Que tal começar pelo aniversário do buraco na praça Vanhargem, na Tijuca?? Já fizeram quantos anos mesmo??

Um poder público incompetente para com os cidadãos comuns. Há sim, injustiças.

As investigações na Cidade Carioca, viraram pizza? Deveriam passar pelos projetos Culturais na Cidade do Rio de Janeiro. Onde são aprovados projetos e apoios as empresas inexistentes, dentro da Secretaria de Cultura... E veremos que as empresas que estão por ai em questão, todas tem o dedo de quem? E vão brotando...

As pessoas que realizam movimentos Culturais pela Cidade, mesmos as apoiadas por Coletivos dentro das comunidades, são exibidas como troféus?? E no entanto as estruturas físicas, água, esgoto, mudou:???

Outras durante anos, são caladas, e nunca entendem porque perdem os editais....

E a viga??? Tá no Mar? Tá onde??

Confiram as fotos. Mas a minha opinião é estar feliz mas muito insatisfeita nessa Cidade do Rio de Janeiro.

http://dianabalis.blogtok.com/galeria/imagem/27782

Diana Balis, 13 de setembro de 2015. (Cala-te boca!)



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (378)

Acreditar no amor | 11Set2015 11:21:11

Publicado por: Diana Balis

O amor revela-se como a chuva que cai no Rio

O tempo muda e a brisa gélida me condena

O couro que descansa no varal, é do animal morto

O rosto calado em desavenças

A vida é  revelada entre as entranhas.

Rugas e os silvos de pássaros,

Aparecem no dia de onde renovo as esperanças.

Nunca tive tempo para ir tão longe

E alcançar tantas nuvens desfeitas.

Entre as águas abundantes que choram em meu dia,

O pensamento flutua como barco de papel.

Um navegante descobre o horizonte inexistente entre dois lados do mundo.

No fundo existir do desistir de nós dois.

Eu aqui e você lá.

O aceno despede entre os navios que partirão,

e não mais voltará,  se ver, se ter, se tocar...

Fica o apito encolhido, zumbindo,

E entre as folhas que caem, o vento de um tempo que nem espera o horizonte alcançar seu fim,

Eu acredito no amor, ainda assim.....

Diana Balis, Rio de Janeiro, 11/09/2015.

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (409)

Sentido | 19Ago2015 10:51:58

Publicado por: Diana Balis

Sentido

O prazer revolto entre coberturas de ameixas secas

O vigor do corpo renasce nas manhãs de sol

Chove lá fora, ou aqui dentro?

Um arrepio seria arreio, quero sossego

O mar avisa que o tempo vai mudar...

O jornal tira todos de suas casas, mais um dia com más notícias?

O humor colore a manhã: tem sol, tem sol

Avisa o iluminado bem-te-vi nesse azul celeste incontido

Dentro do peito evapora mais um desejo...

Calar na vistoria do horizonte,

Falar? Para que?

Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2015, Bom dia, Diana Balis.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (333)

10 Edição Carnaval das Culturas, dias 28,29 e 30 de agosto de 2015. Memorial Getúlio Vargas. Flamengo. | 04Ago2015 13:01:09

Publicado por: Diana Balis

11828801_1013038355374493_8034594500500324455_n.jpg10* Edição do Carnaval das Culturas e a Prefeitura dessa Cidade não contemplou esse projeto, isso sim, não vem deles a ideia, vem de rede social, pessoas que fazem pela Cultura Carioca e pela diversidade.

É assim como acabaram com todas as redes socias de certo modo, na Cidade, os movimento de Ruas?? Nem pensar, né?

Só corredores controláveis e túneis sem saídas...E ainda querem acabar com o Paulo de Frontin? Como assim? Cuidado Zona Sul vocês correm o risco de ficarem ilhados.

É a Cidade Maravilhosa está ficando esquisita...

Voltamos na época de disputas de bairros??? Cidadezinha careta!

É no que se transformou o Rio de Janeiro, a Cidade, as empresas vinculadas à Prefeitura, é que ganham todos os editais e locais de Cultura, e eles não sabem que eu sei, é isso que escutei de uma concorrente ano passado, os  Espaços Culturais do RJ estão até fechando, concorrem para embolsar dinheiro, e apresentarem pouco trabalho,  até nisso o "Sr Malta" atua?

Aliás, nunca vi o Teatro Ziembinski pintado com tão mal gosto, socorro!!! conhecedora do projeto inicial do ator Walmor Chagas (falecido) por ter vivido essa construção, tinha dois conhecidos íntimos por lá, este deve estar sobrevoando o local...que mais parece ligado as trevas que homenagem ao Rio 450 anos..É a nossa Cidade, logo na Tijuca, que  sempre foi o bairro atuante na Cultura Carioca, ai Tijucanos da Gema, será que ninguém reparou no mal gosto dessa pintura que fizeram no Ziembinski?!!! Que isso????!Desconjuro.

Diana Balis, o mal gosto de agosto nessa Cidade, vai para a pintura do Teatro Ziembinski.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (323)

A foto | 30Jul2015 13:06:06

Publicado por: Diana Balis

 

Sentado na mesa, e cheio de si e cia, já vislumbrei seu retrato, nem tão sorridente, nem tão feliz,
está sério como ouço tocar o bumba contundente, de meu coração reticente de infelicidade. Um som
ardido, calado, ecoa, e nenhum meteorito vem abalar minhas vidraças, já que são tão lúcidas e
transparentes...
Vejo a sua conquista, só posso desejar a sua alegria.
Mas a tristeza que me abate entre as lágrimas que rolam da perda é a esperança.
Ninguém quer e almeja o seu recebido desdém.
Nada importa.
Uma foto fria e distante de mim, e desejosa de um sentimento que só poderá me oferecer, quem
tem os sentimentos a oferecer.
O mercado do amor, não me interessa.
O mercado do corpo, não me interessa.
A paz e a tranquilidade que almejo, vem da correta relação de correspondência, sem engano e sem
mentira.
Sigo adiante buscando achar alguém que me tire dessa tristeza agarrada, como carrapicho persistente, no meu coração sem dono.
Diana Balis. Publicado em 16/12/2013.

Amor | 26Jul2015 14:28:56

Publicado por: Diana Balis

Amor

O desejo recolhe frutos

No ar sereno adormeço

O riacho transborda ameno

Os versos caem de folhas secas.

 

Rumo ao mar os aquedutos

No pernoite entre as árvores estremeço.

O fluir é tênue transformado em fenômeno

Sirvo nuvens em sonecas.

 

O braço forte vagueia,

Silentes os ensejos

O amor fogueia.

 

Diana Balis, Feliz dia do Escritor,25/07/15.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (235)

Índios brasileiros em Paris, pedem ajuda. Vergonha!! | 23Jul2015 13:38:18

Publicado por: Diana Balis

BlNhXiWIIAEy8Jb.jpgOs índios estão sendo mortos,  os políticos de PT estão coniventes com essas mortes, quase diretamente em MS. Desmatamento para o plantio de soja, satisfazendo o comércio exterior e as nossas custas futuras que sofrerão com as mudanças climáticas e os Índios pedem SOCORRO e eu também.  "mortes são perpetradas por milícias privadas contratadas por grandes proprietários de plantações de soja e cana."

"Os povos indígenas foram recebidos na segunda-feira no palácio do Eliseu, sede da presidência da França, pelo ativista ambiental Nicolas Hulot, emissário especial de François Hollande para a proteção do planeta e na tarde desta quarta-feira foram à Assembleia Nacional francesa."Leiam aqui para mais informações: http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=8214&action=read

Em AM, policiais espancam indígenas que proíbem a pesca esportiva no território Torá/Munduruku e menor de 15 anos mantido no sol algemado durante horas. (dia 13 na aldeia Vista Alegre,TI. Manicoré AM.

Mais informações: http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=8214&action=read

Como não entender que o mundo é uma roda integrada e a natureza reage aos desmazelos, não quero viver sem água ou com água reciclada, aqui e agora é hora de parar e refletir!

Dia 25 de julho de 2015, é dia da  mobilização Nacional pelo desmatamento zero. É a chance de mostrarmos para o governo o futuro que queremos: com floresta, água e clima ameno para todos!

Assinem a Petição!

link: http://ligadasflorestas.org.br/users/sign_inpost.jpg

Faz tempo que escuto e denuncio sobre essas questões. É  nacional o procedimento e atitudes contra os povos indígenas.

No Mato Grosso do Sul, os Guaranis Kaiowás, estão sendo mortos e alguns membros do povo indígena Guarani-Kaiowá foram a Paris Valdelice Veron, filha de um cacique guarani-kaiowá assassinado por um fazendeiro em 2003denunciar o que acontece no Brasil. Inclusive estive com ela em São Paulo onde o CRP Nacional declarou:
"Por decisão unânime de todo o Sistema Conselhos de Psicologia a líder Guarani-Kaiowá, Valdelice Veron, foi homenageada este ano, durante a 2ª. Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, com o Prêmio Paulo Freire pela luta em prol da garantia de seus direitos. É de se lembrar que Valdelice teve o pai assassinado por fazendeiros da região, durante disputa de terras, em 2003."(foto acima)

Inclusive aqui na Cidade do Rio de Janeiro, espero que escolham o melhor projeto, mais adequado as solicitações dos Índios  da Aldeia Maracanã, o processo começou e como ficará?

Bom dia, se é que podemos dizer isso, com tanta falta de cuidados com nosso planeta. Decisões financeiras de hoje giram a roda ao nosso futuro.

Vamos ao dia da Mobilização Nacional pelo desmatamento zero! Assinem a Petição!

Gisele Lemos.

Psicóloga.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (395)

A vida como uma roda gigante, por vezes embaixo, por vezes em cima. | 22Jul2015 11:17:19

Publicado por:

A vida como uma roda gigante, por vezes embaixo, por vezes em cima.

Os relacionamentos humanos estão caminhando com o desenvolvimento rápido da humanidade, e falso progresso afetivo.

As grandes mídias, TV e Rádios,e pessoas sem formação ampla, estão dentro dos meios de comunicação,e estão transformado histórias de relacionamentos, num circo de horrores.

Outro dia uma enquete de rádio perguntava a seus ouvintes se uma moça de 22 anos que apanhava do namorado, estava certo ou errado, ou a amiga deveria contar ou não  a seus pais?

 

Onde estão esses pais que deixam uma moça chegar roxa em casa e nada veem?

Que amor é esse que malgrada? Pode não!

 

São muitas questões afetivas envolvidas nesses assuntos, não pode ser uma opinião popular singular com alguns telefonemas que simplesmente resolverão a questão ou só a opinião do próprio radialista. Bem como acontece na televisão. Um autor não consegue sozinho chegar a audiência, ele precisa de uma equipe que pensa, analisa e reflete o texto escrito. Tudo deveria ser feito por grupos.

Eu acredito que a manipulação da mídia para os números de audiência e os indicadores do público alvo, deveriam ser reanalisados.

A imprensa e a televisão por anos nos fizeram engolir informações desnecessárias e com subterfúgios entranhando nossa "goela abaixo". Considero que nessa vida as informações tem que ser filtradas e analisadas em equipes multidisciplinares. Chega do olhar leigo, e desse olhar só do poder, chega de olhares que não enxergam a nossa grandeza e só pensam na ganância e dinheiro. Muitos jornalistas já receberam por tantos anos, para dizerem só aquilo que estão sendo pagos para dizer.  O controle do poder está ai mesmo, em nossa televisão. 

Um absurdo nesses anos e anos,  e ainda continuar dessa forma.

Estou solicitando mudanças radicais.

 

Agora estão pedindo que as pessoas em seus bairros façam matérias, é claro, com certeza sem ganhar nada por isso, só pela honra de estar na TV??? Ou no jornal? Mas ao menos é uma iniciativa mais realista e fidedigna da vida.

Um circo de horrores do século passado, volta em cenas presentes, entre radialistas e a TV nacional.

 

Não é isso que queremos, queremos a verdade de notícias, chega de falso jornalismo, mesmo que contrariando o maior idealizador dessas falsas notícias, como diria o "Nélson Rodrigues" Sou um suburbano. Acho que a vida é mais profunda depois da praça Saenz Peña. O único lugar onde ainda há o suicídio por amor, onde ainda se morre e se mata por amor, é na Zona Norte”.

 

As verdades estão aparecendo, as cartas postas nas mesas, vamos continuar nesse caminho, onde mesmo sendo Ex-Presidente, as verdades apareçam.

 

"E a dívida de imposto, da famosa rede de TV, aos nossos bancos públicos?? Quem vai investigar?

Bom dia

 

Diana Balis. Rio de Janeiro, 2015.

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (318)

1 a 55 de 6154 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |
Participa

Insere o mail e confirma


Email:
Ciclos de Poesia
MIL

movimentolusofono
Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Membros Klub
Últimas Galeria
E também
Anedotas
Um bêbado para o outro:
- Parece que há uma doença que se cura com whisky...
- E como se apanha essa doença?
Sondagens
O autor do livro "Canário"
José Ary dos Santos
António Lobo Antunes
Flávio Lopes da Silva
Elisa Cruz
Rodrigo Guedes de Carvalho
Visitem:
Concurso
©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional